Sincronize seu relógio biológico com sua rotina diária

Melhore sua qualidade de vida ao se sincronizar com seu relógio biológico

Aparentemente, existe uma maneira de aproveitar mais as mesmas 24 horas que todos precisam usar em um determinado dia. Novas pesquisas sugerem que isso pode ser alcançado sincronizando seu relógio biológico com sua programação diária. Ao fazer certas coisas durante os períodos de pico de energia e atividade, há uma chance de você melhorar sua produtividade. Vamos dar uma olhada em como fazê-lo:

Seu relógio biológico

Cada pessoa tem um relógio biológico embutido, que é responsável por cronometrar muitas funções biológicas, como quando você dorme ou quando se reproduz. Os ritmos circadianos dentro do seu relógio biológico impulsionam os ciclos diários, como dormir e acordar, o que contribui para a quantidade de energia que você tem em determinados momentos do dia.

Trabalhadores em turnos, por exemplo, constantemente precisam ajustar sua rotina diária para atender às demandas de seu horário de trabalho. Da mesma forma, os viajantes podem experimentar distúrbios em seus ciclos de sono-vigília que levam a uma sensação de jet lag.

Você percebe que parece ter mais energia em determinados momentos do dia? Isso ocorre porque seu relógio biológico é responsável por muito mais do que apenas o ciclo sono-vigília. Alerta mental, fome, estresse, humor, função cardíaca e até imunidade também são influenciados pelos ritmos diários do corpo.

Atividades de sincronização

As demandas da vida diária, como escola, deslocamentos, trabalho e eventos sociais, são responsáveis ​​por interromper os ciclos naturais do seu corpo. Embora fazer alterações em sua agenda nem sempre seja fácil, isso traz benefícios claros para a saúde. Isso não apenas permitirá que você faça melhor uso do seu tempo, mas também há possíveis implicações para a saúde. Evitar interrupções em seu ritmo circadiano torna menos provável que você sofra de resultados negativos para a saúde, como depressão e diabetes.

Dormir

Seu relógio biológico desempenha um papel importante no controle do seu ciclo sono-vigília. Sua agenda, rotinas de dormir e até mesmo sua idade também podem afetar seu ciclo. O ciclo natural de sono-vigília do corpo muda à medida que envelhecemos. À medida que as pessoas se aproximam da idade adulta, seu ciclo tende a mudar para acordar cedo pela manhã. Na verdade, é bastante comum vermos idosos que preferem ir para a cama mais cedo e acordar mais cedo.

Como os níveis de energia da maioria das pessoas caem no início da tarde, é um bom momento para tirar uma soneca. Mesmo que você não possa fazer um devido a compromissos de trabalho ou não, fazer uma pausa rápida no que está fazendo pode ser benéfico.

Comer

Um estudo feito em camundongos descobriu que quando eles tinham suas refeições restritas a horários específicos, eles estavam protegidos contra ganho excessivo de peso e doenças metabólicas. Pesquisas adicionais também sugerem que os horários de alimentação também podem desempenhar um papel na redefinição do relógio biológico. Alterar o horário das refeições também pode ajudar a redefinir o relógio biológico para combinar com uma nova rotina diária.

Concentrar-se

Isso difere para muitas pessoas, no entanto, como regra geral, tendemos a estar mais focados pela manhã. Estudos sugerem que tendemos a estar no auge de nosso poder cognitivo no final da manhã, então você pode querer enfrentar qualquer atividade mental que precise fazer antes da hora do almoço.

Há também uma sugestão de que os níveis de alerta e atenção diminuem após uma refeição. É por isso que você pode achar mais difícil se concentrar no trabalho depois do almoço. Os níveis de concentração caem mais entre o meio-dia e as 16h. Na verdade, muitas pessoas precisam de um impulso para aumentar a energia durante essas horas.  

Conselhos para sincronizar seu relógio biológico

Embora o relógio biológico de cada pessoa funcione de forma diferente, aqui estão algumas dicas para estabelecer uma programação diária mais produtiva:

• Defina um horário de sono: defina um alarme e vá para a cama no mesmo horário todas as noites. Acorde quando o alarme tocar, sem pressionar o botão soneca repetidamente.

• Dê a si mesmo algum tempo: acostumar-se a um novo horário pode demorar um pouco, mas mantenha-o até que comece a parecer mais natural.

• Preste atenção aos seus níveis de energia: tente organizar certas atividades em torno de seus níveis de energia de pico. Nem todo mundo é igual, então seus próprios níveis de energia podem seguir um cronograma ligeiramente diferente.

Fonte: tudoporemail

Anúncios
Publicado em Comportamento, Dicas, Saúde | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Um estrangeiro no velório: como as culturas fúnebres mundo afora diferem da nossa

Os costumes funerários de outros países podem trazer diferenças ao sepultamento de um brasileiro no exterior, sem contar as questões legais

Normalmente, a morte é encarada com muita tristeza. Por mais que perder um ente querido seja algo impossível de evitar, falar sobre isso é quase uma polêmica, já que trazer o assunto à tona poderia “atrair” coisas ruins.

No entanto, nem todas as culturas encaram o fim da vida da mesma forma e, consequentemente, os rituais de despedidas de cada lugar acabam tendo características muito específicas. A quase proibição sobre a abordagem da morte – e a forma cheia de tristeza de encará-la – é, de um modo geral, proveniente de costumes ocidentais. O adeus do mundo segue formatos diferentes em cada território.

Em vários países da África e da Ásia, por exemplo, a morte é até mesmo vista como algo positivo. É claro que família e amigos ficam tristes quando perdem alguém que amam, mas enfrentam a situação de um jeito mais leve e otimista.

Alegria e festa

  • Gana

Gana, na África, segue um rito funerário cheio de alegria. Inclusive, o famoso “meme do caixão”, que viralizou nas redes sociais em 2020, vem de uma gravação de um funeral ganense.

Embora o costume de ter homens dançantes levando o caixão seja particularmente comum, apenas os mais ricos têm condições para contratar o serviço. O objetivo é comemorar a vida do falecido e não focar apenas na tristeza de sua morte.

Também acredita-se que a pessoa deve ser enterrada com signos que lembram sua vida. Por isso, os caixões – que demoram duas semanas para ficarem prontos e devem ser encomendados apenas depois da morte – podem ter formatos inusitados, como de frutas, carros e peixes.

  • México

O Dia de Finados do México é quase o equivalente ao Carnaval do Brasil. A relevância do Dia de los Muertos é tanta que virou um símbolo mexicano e ganhou até mesmo uma animação da Disney, vencedora do Oscar, Vida – A Vida é Uma Festa.

Com festas de três dias, as famílias se reúnem com comidas, bebidas e muita dança para homenagear os entes queridos que já se foram. Altares com flores, fotos e a enigmática La Catrina são feitos perto das janelas.

A crença diz que os mortos voltam à Terra nesse dia para visitar os familiares. Por isso, devem ser recebidos da melhor maneira possível.

Rapidez no adeus

  • Egito

No Egito, a pessoa deve ser enterrada, no máximo, dentro de 24 horas – e isso deve ser feito antes do pôr do sol. Pela crença muçulmana, não é adequado deixar o corpo longe da terra por muito tempo.

Velas e incenso são acesos no ritual de limpeza para afastar os maus espíritos. O corpo deve ser colocado do lado direito, em direção à Meca, cidade da Arábia Saudita onde nasceu Maomé.

Após a purificação, o cadáver é enrolado completamente em mortalhas, com as pernas amarradas por uma corda. A mão esquerda fica no peito, abaixo da direita. 

O caixão serve apenas para transferir o corpo até o cemitério. Quando chega, é enterrado apenas com a mortalha.

  • Turquia

Na Turquia, a regra das 24 horas e do pôr do sol também se aplica. O corpo é levado por familiares do mesmo gênero, salvo no caso de filhos e cônjuge. A limpeza é feita de três a sete vezes e depois o cadáver é enrolado em panos brancos, amarrados com quatro cordas. 

Antes do sepultamento, ora-se o Salatul Janazah, uma oração fúnebre. Participantes do funeral devem fazer três filas horizontais em direção à Meca, separadas por homens, mulheres e crianças. Todos rezam o primeiro capítulo do Alcorão.

Passagem espiritual

  • Nauru

Os nauruanos acreditam que os mortos viram espíritos. A partir daí, começa a jornada Ebwiyeye. O falecido precisa se rastejar, em direção ao pôr do sol, sobre um pináculo de bordas afiadas, mas sem se machucar. Se as árvores no caminho o capturarem, isso significa que ele fez maldades em vida.

Uma pessoa que não foi boa na Terra é rapidamente reconhecida no mundo dos mortos. Sua punição é o eterno constrangimento.

  • Haiti

No Haiti, a religião predominante é o Vodu. Após a morte de um haitiano, sua alma é composta pelo gro bonange (anjo bom, força da vida) e o ti bonange (pequeno anjo, essência da pessoa), que fica próximo ao corpo por até nove dias.

Neste período, o ti bonange fica exposto ao ataque de feiticeiros que podem transformá-lo em zumbi. A alma se separa do corpo e passa um ano e um dia vivendo em “águas escuras”. Se neste meio tempo algo der errado, sua alma pode ficar vagando pela Terra e trazer má sorte à família.

Se tudo der certo, a alma é retirada do corpo que está nas águas e colocada em um pote de barro, o govi. A alma é tratada com Deus. Em cerimônias subsequentes, o pote é queimado ou quebrado, liberando a pessoa para viver em paz, até seu renascimento em Lafrik Guiné.

Mas afinal, o brasileiro que morre em outro país deve seguir os costumes locais?

Se a cultura e as políticas do país permitirem, não. É difícil imaginar um brasileiro sendo enrolado em mortalhas, mas isso pode depender das diretrizes do país. 

Em alguns lugares, existem cemitérios e casas funerárias que seguem outros costumes. No Brasil, há cemitérios judaicos. Já nos Estados Unidos, mais precisamente em Nova York, há estabelecimentos que seguem os ritos de Gana.

Quando um brasileiro morre no Japão, por exemplo, é quase uma certeza que ele será cremado, visto que o país segue a cremação por questões logísticas, já que o território japonês não tem espaço para enterrar todos os mortos.

O que fazer quando um brasileiro morre no exterior?

Avisar o consulado

Independentemente de como vai ser o funeral, as autoridades devem ser informadas da morte.

Assim, quando um brasileiro morre em outro país, o Consulado Brasileiro da região deve ser contatado o quanto antes.

Registrar o óbito

O óbito pode ser registrado na Repartição Consular da jurisdição do local mediante declaração de um familiar brasileiro, que deve comparecer ao Posto.

A Certidão de Registro de Óbito é feita pelo Consulado, posteriormente transcrita no Cartório do 1º Ofício do Registro Civil do local de seu domicílio ou no Cartório do 1º Ofício do Distrito Federal.

Translado

Se desejado, o corpo pode voltar para o Brasil. Para que a administração do aeroporto autorize o embarque, é preciso apresentar o atestado de óbito, laudo médico de embalsamento ou conservação e autorização para remoção do cadáver concedida pela polícia do local da morte.

Recomenda-se contratar os serviços de uma agência funerária, no país do óbito, que tenha experiência com traslados e que possa se encarregar de todos os trâmites. A empresa estrangeira deve ter contatos com uma funerária brasileira, que se responsabiliza pelo resto do processo quando o corpo estiver no Brasil.

Caso a família não tenha recursos, o sepultamento acontece no exterior, seguindo os termos da legislação local, a cargo do Estado estrangeiro.

Anúncios
Publicado em Comportamento, Dicas | Marcado com , , , , , , , , , | 4 Comentários

Comece o ano conhecendo esses 4 potencializadores de queima de gordura

Soluções ajudam a eliminar as gordurinhas indesejadas e conquistar o corpo que você tanto deseja

Entra ano, sai ano e a gordura localizada continua sendo uma das principais vilãs quando o assunto é autoestima e bem-estar corporal de homens e mulheres preocupados com a aparência do corpo. 

No entanto, ainda que muita gente se incomode com ela, poucos sabem de fato como potencializar sua queima, uma vez que existem três tipos de gorduras do corpo, que são armazenadas de formas diferentes, portanto, passam por processos diferentes de eliminação. 

Quer entender melhor sobre esse assunto e descobrir como se livrar do tão indesejado acúmulo de gorduras no seu corpo? Então acompanhe o conteúdo especial que preparamos para você a seguir. 

Os tipos de gordura corporal

Conforme mencionamos anteriormente, há basicamente três tipos de gordura corporal e cada um deles possui um processo diferente para acúmulo e queima. 

No caso da gordura branca, trata-se de uma gordura acumulada através do consumo excessivo de calorias, que se acomoda nos glóbulos brancos do corpo, sendo armazenada como lipídios. 

Já a gordura marrom, também conhecida como tecido adiposo marrom, é ativada pela temperatura corporal, principalmente para gerar calor (termogênese) quando necessário, promovendo a queima das calorias armazenadas. 

A gordura bege, que está relacionada a um peso saudável, é um tipo de gordura espalhada em depósitos ao longo da pele que, quando ativada, também queima calorias para manter o corpo aquecido.

Há ainda uma subdivisão entre as gorduras mencionadas, que as categorizam em gordura macia ou dura. No primeiro caso, entram as gordurinhas que você pode beliscar e, segundo a Harvard Health Publishing, 90% das pessoas têm gordura desse tipo.

No caso da gordura dura, ou gordura visceral, trata-se daquela que está envolvida em torno dos órgãos, artérias e veias, sendo o tipo mais preocupante, já que pode resultar em doenças cardíacas, diabetes e até mesmo câncer.

Hábitos para cultivar durante o ano

Independente de qual seja o seu tipo de gordura corporal, tomar consciência da importância de cuidar do corpo e da saúde é o primeiro passo para recuperar sua autoestima e promover as mudanças que tanto deseja. 

Neste sentido, a troca do ano é um bom momento para começar a cultivar bons hábitos, que estejam mais alinhados com os seus objetivos. 

Mudanças na alimentação, no consumo de água e até mesmo na prática de atividades físicas serão necessárias, além de abandonar maus hábitos como fumar e consumir bebidas alcoólicas excessivamente. 

Potencializadores de queima de gordura

Para além de adotar uma nova rotina, com uma alimentação mais adequada e a prática de exercícios físicos, em alguns casos, recorrer aos potencializadores de queima de gordura é a decisão mais acertada a se fazer. 

Isso porque, trata-se de uma ajudinha extra muito bem-vinda quando apenas os métodos tradicionais não estão sendo tão efetivos quanto se gostaria. 

Dentre os métodos, técnicas e procedimentos capazes de promover esse efeito no corpo e te ajudar a se livrar da gordura localizada indesejada, podemos destacar os principais potencializadores a seguir:

  • Suplementos 

Os suplementos que aceleram o metabolismo são excelentes aliados para queimar a gordura localizada e, quando associados à prática de exercícios, podem garantir bons resultados. 

Produtos que possuam em sua composição substâncias termogênicas e que forneçam energia extra durante os treinos são os mais indicados.

  • Exercícios de alto impacto

Alguns exercícios ajudam a queimar a gordura corporal mais rápido e, portanto, você deve incluí-los na sua rotina para obter resultados ainda mais satisfatórios.

Isso porque, além de aumentar a frequência cardíaca, melhorar o condicionamento físico e a resistência cardiorrespiratória, tais exercícios trabalham localmente as regiões em que o acúmulo de gordura é maior. 

Aposte no burpee, prancha (até a falha), no skipping médio, corda e polichinelos. Atividades como a corrida, caminhada e até mesmo a dança igualmente são válidas quando o assunto é queimar gorduras e calorias.

  • Alimentação 

Faça um processo de reeducação alimentar e inclua alimentos mais saudáveis e menos calóricos na sua dieta. Frutas, vegetais, verduras e outros alimentos in natura devem compor a maior parte das suas refeições. 

Deixe de lado enlatados, ultraprocessados, fast foods e alimentos ricos em gordura e sódio, não se esquecendo de beber a quantidade adequada de água para o seu peso corporal.

  • Procedimentos estéticos

Alguns procedimentos estéticos também podem te ajudar nessa missão de se livrar de uma vez por todas da gordura localizada. 

Tratamentos como a carboxiterapia, criofrequência, lipocavitação, massagens modeladoras e drenagem corporal podem ser incluídos na sua rotina para potencializar os resultados de uma boa alimentação e dos exercícios físicos. 

Já para o caso de gorduras localizadas e flacidez mais resistentes, algumas cirurgias plásticas podem ser o caminho para alcançar o corpo desejado. A abdominoplastia pós bariátrica e a lipoaspiração são alguns dos procedimentos indicados nestes casos. 

Contudo, vale lembrar que é fundamental procurar por profissionais de confiança para todas as soluções mencionadas, uma vez que apenas ele poderá indicar qual o tratamento mais adequado para o seu caso.

Anúncios
Publicado em Dicas, Moda e Beleza, Saúde | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

6 objetos de decoração que eram bregas e agora são hype 

Veja quais itens decorativos saíram do brega e estão na preferência de decoração dos brasileiros

Na moda, o que foi cafona ontem, hoje é tendência. Muitas peças de decoração e vestuário, da época dos avós da geração atual, chegaram ao hype nos últimos anos. Um bom exemplo são as pochetes. Antes consideradas antiquadas, os acessórios dos anos 80 e 90 voltaram com força no look da juventude. Contudo, não foram só as pochetes que “hypou“. 

A série de objetos decorativos que elencamos para o interior das casas também estão de volta, bem como são produtos acessíveis financeiramente. Disponíveis em lojas de decoração física, no e-commerce ou no atacado online, trazemos os principais hypes decorativos como inspiração para a sua decoração. 

1. Estampa de animais (animal print)

Freepik

Tido como um dos clássicos da estamparia, o animal print foi criado no século XVIII. A estampa ganhou espaço no mundo da moda quando apareceu no cinema, entre as décadas de 1950 e 1960. O verdadeiro boom veio na década de 1980, quando muita gente aderiu ao estilo da estampa. Depois, os itens foram considerados como brega. 

Agora, o animal print virou tendência, em 2022. Tanto é que até a camisa da seleção brasileira de futebol, utilizada na Copa do Catar, recebeu estampas de onça-pintada. E na hora de decorar a casa, o padrão também está em alta. 

Itens decorativos com estampas de leopardo, onça, crocodilo, vaca e até mesmo girafa são versáteis, podem ser inseridos por toda a casa. 

Tapete ou sofá grandes com estampa animal print, se encaixam bem em ambientes espaçosos e dominados por cores neutras. Enquanto isso, ambientes compactos combinam com pequenos itens estampados, como quadros, vasinhos, posters, desenhos ou mini estátuas. 

2. Samambaias

Freepik

Samambaias são nostálgicas para diversas pessoas. Afinal, muitas vovós Brasil afora tinham vasos com a planta decorando a casa. Figurinha carimbada nos lares entre 1970 e 1990, a planta pteridófita é um item de decoração hypado hoje em dia. 

Presentes na Terra há cerca de 200 milhões de anos, as samambaias são consideradas pré-históricas. Como são nativas de regiões com climas temperados e tropicais, existem espécies de samambaias que conseguem viver dentro de casas e apartamentos. 

Ideal para decorar salas, banheiros, quartos e varandas, acomodável em quase todos os cômodos do lar, basta escolher um cantinho com baixa exposição solar. É recomendável que ela seja plantada num vaso com solo úmido e receba água diariamente. 

Veja, na sequência, 10 tipos de samambaias populares:

  • Chifre-de-veado;
  • Mini samambaia;
  • Asplenio;
  • Americana;
  • Argentina;
  • Jamaicana;
  • Havaiana
  • Azul;
  • Renda Francesa;
  • Renda Portuguesa. 

3. Papel de parede

Freepik

E por falar em estampa, paredes com padrões de desenho também são hype. Mas sua origem remonta até em 200 a.C., quando foi tendência na região da China. Originalmente, os fabricantes utilizavam papel de arroz na fabricação.

Os rolos de papel de parede desembarcam na Europa entre os séculos XVI e XVII, por meio dos comerciantes de origem árabe. E a chegada ao Brasil aconteceu justamente por causa dos imigrantes europeus, que trouxeram o artigo na bagagem. 

O papel de parede é ideal para quem busca adicionar cor, estampas e texturas a diferentes cômodos da casa. No que diz respeito à aplicação, existem os de lâminas adesivadas, vinílicos e os rolos, que são fixados com o uso de cola. 

4.Mural de fotos

Freepik

Ainda sobre a decoração de paredes, o mural de fotos é uma boa alternativa para quem quer decorar sem gastar muito. Para começar, basta fotos impressas em papel fotográfico e o mural – esta pode ser as molduras de retrato ou improvisados em superfícies planas.

O mural pode ter diferentes tamanhos e formatos, de acordo com a imaginação de cada um. Existem modelos de imã, cortiça, madeira, aço e varais com pequenos prendedores. 

5. Tapetes peludos

Freepik

Saindo da parede, os tapetes peludos eram considerados cafonas, mas, o modelo também chamado de shaggy, que em português significa “peludo”, está de volta ao chão dos cômodos.

Eles transmitem a sensação de aconchego e conforto aos ambientes onde são colocados. Normalmente, tapetes e outros itens peludos aparecem em quartos de crianças, salas, escritórios e closets.

Existem modelos fabricados com fibras naturais e materiais sintéticos. O primeiro é bem macio, recomendado para locais com baixo fluxo de pessoas. Já o segundo pode ser colocado em lugares movimentados, pela resistência e facilidade na limpeza. 

6. Estampa floral 

Freepik

Parte dos historiadores acreditam que a estampa floral tem origem indiana. Por outro lado, os demais acreditam que a China é o berço desse tipo de estampa. Mas todos concordam que trata-se de um clássico sem prazo de validade. 

Florais são bem comuns em almofadas, sofás, cortinas e tapetes. Para conhecer mais sobre o conceito, veja tipos de estampas floral. 

  • Tradicional: as flores estampadas, rosas e margaridas, costumam ser de tamanho pequeno e médio. Além disso, a base do objeto carrega somente um tom;
  • Abstrato: o estilo foge do tradicional, trazendo cores vibrantes e flores de tamanhos diferentes;
  • Tropical: mescla vários tipos de estampas florais, misturando cores e formatos de flores realistas.

A ressignificação que esses itens sofreram nos últimos tempos lembram a frase do grande Antoine-Laurent de Lavoisier, o pai da Química: “Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Anúncios
Publicado em Dicas | Marcado com , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

9 roteiros cervejeiros imperdíveis para o conhecer neste verão!

Conheça os principais roteiros cervejeiros para viajar e aproveitar experiências gastronômicas da bebida mais popular do verão

O Brasil é o terceiro maior consumidor de cerveja do mundo, com  mais de 13,3 bilhões de litros bebidos por ano – segundo levantamento da Euromonitor. Já o turismo gastronômico movimenta R$ 250 bilhões por ano, como apontado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

O que as duas coisas têm em comum? Não faltam viagens para os entusiastas de experiências da bebida. E, neste verão, o consumo da gelada é uma ótima pedida! Conheça 9 roteiros cervejeiros imperdíveis para degustar e até conhecer fábricas em todo o país.

  1. Curitiba (PR)

A capital paranaense e a região metropolitana são referência na produção cervejeira. Com uma vasta gama de cervejas jovens, vibrantes e criativas, trata-se de um roteiro cheio de opções.

Entre elas está a Bodebrown, uma das cervejarias mais premiadas do Brasil. Localizada no Hauer, em Curitiba, ela é famosa por produzir a Trooper Brasil IPA – a cerveja da lendária banda de heavy metal Iron Maiden.

Aos sábados, o Growler Day permite visitação à fábrica da cervejaria eleita a melhor do Brasil em 2021 para conhecer o processo de produção e degustar cervejas. Para desfrutar da experiência, é necessário pagar R$ 50 por pessoa.

Outra cervejaria que permite visitação à fábrica é a ØL Beer, com rótulos inspirados na cultura viking. Localizada em São José dos Pinhais, no bairro de Ouro Fino, na região metropolitana, é necessário agendar previamente. Lá ainda fica o SPØT BAR, com doze tipos de chopps, porções e hambúrgueres.

De volta a Curitiba, a Bastards suspendeu as visitas à fábrica – que era guiada pelo mestre cervejeiro da empresa. Mas não se desespere porque ela possui dois bares na própria capital: o Bar da Fábrica Bastards, no Bom Retiro, e o We Are Bastards Pub, na Água Verde.

  1. Serra Gaúcha (RS)

O Rio Grande do Sul é marcado pela forte influência alemã, com cervejas especiais mais encorpadas e ideais para as temperaturas da região. Elas podem ser degustadas na Rota Cervejeira da Serra Gaúcha, que contempla três cidades vizinhas: Nova Petrópolis, Gramado e Canela, e inclui várias cervejarias locais.

Com diversas opções de locais para visitação, é possível adquirir pacotes turísticos com visitação guiada. Entre eles está o Tour Rota Cervejeira com Chopp na Kombi, com 5 horas de duração e chopp à vontade durante o deslocamento – que, como o nome diz, é feito em uma charmosa kombi.

Disponível às terças, quintas e sábados, este roteiro passa por três locais: a Rasen Bier, primeira cervejaria artesanal de Gramado, a Gram Bier, da mesma cidade e com produção 50 mil litros de cerveja por mês, e a Kraustin Bier, que oferece experiências de degustação em Canela.

A partir de R$ 140 reais por pessoa, o roteiro não inclui alimentação e os ingressos das visitações às fábricas, que custam um total de R$ 66,00 por cabeça.

Caso queira procurar outras opções de cervejarias gaúchas, a Farol é outra ótima pedida. Sua cerveja é produzida com água pura e extraída de um poço artesiano da região. E, como o nome diz, dá para desfrutar da bebida e de uma bela vista no topo de um Farol.

Outra opção bastante procurada pelos amantes da cevada é a Edelbrau. Localizada em Nova Petrópolis, seu Gastropub possui chopp e aperitivos inspirados na culinária alemã. Além disso, a fábrica está aberta todos os dias para visitação, com preços a partir de R$ 55 e uma experiência lúdica – e, é claro, degustações.

  1. Ribeirão Preto (SP)

De volta ao interior paulista está Ribeirão Preto, conhecida por sua forte ligação com a cerveja. Desde a década de 90, a cidade é marcada pelo surgimento de cervejarias artesanais e que se destacam até hoje no mercado. Festivais do cenário cervejeiro como o IPA Day e o South Beer Cup agitam a cidade.

Entre os principais destaques está a Cervejaria Colorado. Fundada em 1996 com oito tipos de chopp de alto teor alcoólico, não filtrados e ingredientes tradicionalmente brasileiros. Com o sucesso da empreitada, ela se expandiu para todo o país – se juntou ao Grupo Ambev em 2015, integrando o catálogo de que conta com a cerveja Brahma e outros 31 rótulos.

Quem quiser conhecer a fábrica da Colorado precisa agendar previamente e se ater à vestimenta, com uso de calça comprida e sapato fechado e sem salto. Pelo valor de R$ 25 por pessoa, o passei apresenta as instalações e pode degustar as principais cervejas da marca – no entanto, o consumo consciente é incentivado.

Na própria fábrica fica a Toca do Urso, bar oficial da Colorado com experiências de degustação e cardápio que usa insumos da cerveja nos pratos. Ele possui unidades em outras cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Maringá e Franca.

  1. Minas Gerais (MG)

Apesar de conhecido por produzir cachaças de altíssima qualidade, Minas Gerais também é notória por vastas opções de cervejas especiais – segundo levantamento do O Globo, o segundo estado com maior número de rótulos.

A Cervejaria Krug Bier é a pioneira no estado. Localizada em Nova Lima, ela é notória por possuir cervejas sem glúten e saudáveis. Aos sábados, a visitação à fábrica é aberta e custa R$ 69 por pessoa – com direito a degustação e um kit exclusivo.

Já a capital Belo Horizonte possui o maior barrel room da América Latina, onde as cervejas são envelhecidas em um ambiente montado com mais de 130 mil rolhas. São mais de 100 mil litros produzidos por ano e possui visitas guiadas.

Ainda na capital está localizada a Wals, no bairro Olhos D’Água. Eleita a melhor cerveja do mundo em 2020 pelo International Beer Challenge (IBC), a cervejaria possui um ateliê com o barrel room mais completo da América Latina, com mais de 130 mil rolhas.

Outra opção a Capa Preta Tap House, que não possui visitações à fábrica. No entanto, seus 15 rótulos premiados podem ser degustados diversos nos bares da cervejaria: Capa Preta Steakhouse e Tap House Savassi, em Belo Horizonte, Tap House Vila da Serra em Nova Lima – e até a Tap House Vila Madalena, em São Paulo (SP).

  1. Petrópolis (RJ)

Petrópolis é uma cidade associada à monarquia brasileira, apesar de também possuir a cerveja mais antiga do Brasil. Nela, está localizada a Cervejaria Bohemia, fundada em 1835. Lá, é possível conhecer o bar e restaurante oficial deste marco histórico da indústria cervejeira nacional.

E, é claro, conhecer a fábrica da Bohemia com três tipos de visitas guiadas. A Visitação Livre possui três degustações e brindes, custando R$ 39 por pessoa. Já a Tour Chave do Mestre permite degustar quatro rótulos e visitar mais áreas por R$ 69. Para completar, a Tour Harmoniza aumenta a lista para oito tipos da bebida e oferece harmonizações por R$ 99 reais.

Ainda na cidade imperial está a Cervejaria Brewpoint, conhecida pelas cervejas artesanais criativas e ousadas. Localizada no bairro Quitandinha e também com visitação à fábrica, o viajante poderá conhecer todo o processo de produção e degustar os principais rótulos – precisando agendar previamente.

  1. Itupeva e Campinas (SP)

Localizada perto de Campinas está Itupeva, cidade com uma das mais modernas fábricas de cervejas artesanais do país: a Blondine. A visita à fábrica custa entre R$ 35 e R$ 65 por pessoa e permite degustação, análise sensorial de ingredientes e até uma aula sobre estilos cervejeiros.

Outro roteiro interessante na região é a Cervejaria Landel, cujo centro de distribuição fica em Campinas – e é a primeira da cidade a produzir rótulos especiais. Localizada no Taquaral, ela possui dez tipos de cervejas exclusivas e se destaca por ter a primeira Session IPA do Brasil.

  1. Blumenau (SC)

Se engana quem acredita que a Oktoberfest é o único roteiro cervejeiro em Blumenau. Com forte influência da cultura alemã, o Vale da Cerveja é repleto de opções para entusiastas da bebida.

Entre os principais destaques estão a tríade composta Cervejaria Schornstein, Cerveja Blumenau e Wunder Bier – enquanto a primeira fica em Pomerode, as outras duas estão localizadas no centro de Blumenau

Patrocinadora do Oktoberfest de 2022 junto com a Spaten, a Cervejaria Schornstein oferece visitações à fábrica. Ela dá direito a um copo especial, degustação de três estilos diferentes de cerveja e é feita por um mestre cervejeiro. Devido à alta demanda, é necessário agendar com antecedência.

Vencedora de mais de 80 premiações nacionais e internacionais, a Cervejaria Blumenau permite a visitação à fábrica – com direito a degustação e muito conhecimento cervejeiro. É necessário agendar previamente para evitar perder a viagem.

Completa a lista a Wunder Bier, também inspirada na cultura germânica. Famosa pelo chopp lager escuro Schwarzbier de vinho WeinBier, a cervejaria permite visitas à fábrica de segunda a sábado. Já seu bar está aberto de terça à sábado, somente à noite.

  1. Porto Alegre (RS)

Criado pela prefeitura da capital, a Linha do Turismo é um roteiro turístico de Porto Alegre – que geralmente leva os turistas ao centro histórico. No entanto, a cerveja não poderia ficar de fora – e, mensalmente, há um passeio cervejeiro com degustação inclusa e valores entre R$ 30 e R$ 80 por cabeça. Não há uma programação fixa, alternando entre as principais cervejarias artesanais da cidade – que conta com 25 estabelecimentos.

Como destaque está a 4Beer, com unidades em São Geraldo, Bela Vista. Menino Deus, Moinhos e Zona Sul. Não permite visitações à fábrica, apesar de oferecer uma experiência mesclada de biergartens alemães e pubs britânicos.

Já a Devaneio do Velhaço promove o que chama de Estado Líquido da Arte. Localizada no Centro Histórico, seu Bar da Fábrica oferece uma vasta gama de cervejas artesanais e selvagens e complexas, maturadas em barris de carvalho. Além disso, harmonizações feitas por Ângelo Roman.

Mas o principal destaque é a Dado Bier, primeira microcervejaria artesanal do Brasil. Seu Food Hall está localizado no Bourbon Shopping Country, no Passo d’Areia, e oferece um espaço com sete tipos de gastronomia e todos os rótulos da marca – que produz 250 litros por brasagem e desenvolve até oito receitas diferentes por mês.

  1. Campos do Jordão (SP)

Considerada a Suíça brasileira, Campos do Jordão é notória por ser sede da Baden Baden – uma das cervejarias mais tradicionais do país. Com relevância internacional e linhas especiais lançadas todos os anos, é um dos principais roteiros cervejeiros para se fazer.

Uma parada obrigatória de Campos do Jordão é a microcervejaria Caras de Malte, no bairro de Descansópolis. Inspirada em um hotel suíço e com um deck para degustar cervejas, ela em breve permitirá visitações para sua fábrica – e, é claro, degustações.

Completa a lista a Gard Cervejaria, no Horto Florestal. Com produção de 2 mil litros de cerveja por mês e rodeado pela natureza, o estabelecimento permite a degustação de chopps por R$ 15. Além disso, seu vasto cardápio é uma ótima pedida para uma experiência gastronômica completa.

Qual destes roteiros mais chamou sua atenção? Agora basta planejar a viagem e se preparar para aproveitar – com muita cerveja e chopp, é claro.

Por Carolina Peres

Anúncios
Publicado em Dicas | Marcado com , , , , , , , , , , | 5 Comentários