Como escolher o carro ideal para quem é mãe

Para muitas mães, o carro é praticamente uma extensão da casa: como são muitas tarefas a cumprir no decorrer do dia, é preciso ter espaço não apenas para os filhos, mas também para cadeiras de transporte, material escolar e de trabalho, roupas e até brinquedos.

Com tantas coisas para fazer, não só o espaço, mas também o tempo são fundamentais para essas super mulheres pilotarem suas vidas da melhor maneira possível. Dessa forma, a escolha do carro ideal para se tornar seu grande aliado nessa aventura chamada maternidade é uma decisão importante para facilitar o dia a dia das mães.

A seguir, preparamos 3 dicas que podem fazer toda a diferença na rotina agitada das mamães motoristas com seus carros. Confira!

1. Compre seu carro sem sair de casa

Sim, já é possível comprar um carro sem sair de casa, com poucos cliques no computador ou celular – e para quem precisa otimizar o tempo, como as mamães, essa novidade é muito bacana. Para isso, basta acessar o site da CARUPI, uma autotech com um modelo de negócio ideal para otimizar seu tempo, e que ganha cada vez mais espaço no mercado de compra e venda de veículos.

O processo é simples e ágil: é só navegar pela plataforma e escolher o veículo de sua preferência, que é levado até a sua residência por um consultor especializado para você fazer um test drive sem custos e analisar cada detalhe do veículo com toda a tranquilidade.

Com o negócio fechado, a CARUPI continua cuidando de tudo: emite a papelada, resolve a burocracia junto a cartórios e ainda ajuda você a definir a melhor forma de pagamento, com opções facilitadas e sem riscos de cair em golpes. Depois, o carro também é entregue no seu endereço.

Agora, se você tem um carro para vender, basta definir o preço, cadastrar o veículo na plataforma e deixar o resto com a CARUPI. Um fotógrafo profissional será enviado até o carro para fotografá-lo, e depois ele é anunciado e encaminhado até os interessados para um test drive. Com o negócio fechado, você recebe o dinheiro em sua conta, com facilidade e segurança.   

2. Escolha um veículo mais espaçoso

Não dá para fugir dessa regra: quanto maior a família, maior o carro precisa ser. Mas, além de ser o mais espaçoso possível, o veículo também precisa reunir comodidade, segurança, tecnologia e versatilidade para atender às necessidades de cada um dos passageiros e se adaptar ao seu estilo de vida.

Uma boa pedida são os carros de 7 lugares, como alguns modelos de minivans, SUVs e crossovers. Esses modelos são como coração de mãe: tem sempre um espaço extra para acolher a quem se ama, e são ótimos para facilitar a vida das famílias mais numerosas.

3. Atenção aos itens de segurança

Que toda mãe é super protetora, ninguém duvida. E para aquelas que levam as crianças no carro em vários momentos do dia, esse cuidado é algo ainda mais importante, não é mesmo? Por isso, estar atenta aos itens de segurança do veículo é fundamental para toda mamãe que dirige.

Cinto de segurança, airbags, qualidade e calibragem dos pneus, triângulo, macaco, chave de roda, freios, encostos de cabeça, fixação de cadeirinhas infantis, controle de estabilidade e revisões periódicas devem sempre estar em ordem para garantir a proteção de toda a família.

Anúncios
Publicado em Dicas | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | 20 Comentários

Frutas e diabéticos: o que comer e o que evitar

Algumas opções de frutas podem se tornar um risco para os diabéticos por causa do alto teor de açúcares

Apesar de comum, afirmar que o consumo de frutas é irrestrito é um mito. Essa afirmação, que circula pela Internet, estimula o excesso do alimento e preocupa os agentes de saúde.

Dados da última edição do Atlas de Diabetes da International Diabetes Federation (IDF) mostram que 463 milhões de pessoas estão com diabetes no mundo. Esse número corresponde a 9,3% da população mundial, sendo que mais da metade dos adultos com a doença ainda não foram diagnosticados. Os números ainda apontam que o diabetes tipo 2 é o mais presente e atinge 90% dos pacientes.

O diabético precisa ter cuidado ao consumir alimentos ricos em carboidratos, incluindo as frutas com maior teor de açúcares, como caqui, abacaxi, melancia, banana, figo e jaca. Uma das melhores formas de controlar o nível da glicose no sangue é ingerindo alimentos pouco açucarados e ricos em fibras.

Por isso, é importante ressaltar que a relação entre frutas e diabetes exige cuidado. Vamos saber mais sobre o assunto?

Diabetes tipo 1 e 2

O diabetes é caracterizado pela dificuldade em metabolizar a glicose, seja pela falta ou má atuação da insulina. O hormônio é responsável por transformar a glicose em energia e, por isso, um diabético precisa realizar o controle da glicose regularmente.

O diabetes mellitus pode ser dividido em alguns tipos, que possuem como característica o aumento da glicose no sangue. Veja a seguir os principais:

  • Tipo 1 – É caracterizado pela deficiência completa na produção de insulina. É o tipo de diabetes mais comum em crianças e adolescentes, e exige a aplicação diária de insulina para o controle da glicose.
  • Tipo 2 – É caracterizado pela insuficiência na produção ou resistência à insulina. É o tipo mais comum, em todo o mundo, e atinge principalmente pessoas acima de 40 anos. Em alguns casos, o paciente pode ser insulinodependente, pois também precisa aplicar insulina.

Veja, que no primeiro caso, o pâncreas não produz o hormônio, com isso, o açúcar permanece no sangue e não é transformado em energia por meio da metabolização. Já no segundo caso, há algum fator que causa a resistência à insulina, e isso provoca o aumento do açúcar no sangue. Você sabia disso? Acompanhe a coluna para conhecer mais fatos sobre a doença.

Frutas e diabéticos

A relação entre frutas e diabetes requer cuidado devido à alta concentração de carboidratos, como a glicose e a frutose, que elevam a glicemia.

Quando uma pessoa sem a doença consome uma fruta rica em carboidratos, como a banana, o organismo quebra as moléculas de açúcar e realiza a metabolização da glicose por meio da insulina. No caso de um indivíduo com diabetes, os altos níveis de glicose gerados pelo consumo da fruta podem causar diversos problemas por conta da dificuldade em metabolizar o açúcar.

Assim, a orientação para o diabético é realizar um consumo moderado de frutas, sem exageros. Além disso, é recomendado escolher as frutas considerando o índice glicêmico de cada uma, para que não ocorra um descontrole das taxas sanguíneas.

As frutas que possuem altos índices glicêmicos não precisam ser eliminadas do cardápio. Elas podem ser consumidas junto com outros alimentos para retardar a absorção de seus açúcares. Veja as nossas dicas abaixo:

  • Acrescente fibras, como granola, farelo de aveia, chia ou linhaça.
  • Adicione oleaginosas, como castanhas, amêndoas e macadâmias.
  • Associe ao consumo de alguma proteína, como iogurte natural ou leite desnatado.

Destaco ainda outras recomendações:

  • Consumir frutas com casca e bagaço.
  • Escolher frutas da época e orgânicas, preferencialmente.
  • Comer a fruta in natura, sem processá-la.

Quais frutas são recomendadas?

Felizmente, o diabético não precisa abrir mão do consumo de frutas para ter o controle da glicemia. Mas é importante seguir algumas recomendações para escolher as melhores opções.

As frutas mais indicadas para os diabéticos são as que possuem menos açúcares e mais fibras. Separei alguns bons exemplos:

  • coco – rico em fibras, potássio, fósforo e magnésio;
  • abacate – rico em gorduras boas, potássio e fósforo;
  • damasco – contém grandes quantidades de cobre e vitaminas A e E;
  • pera – contém potássio, fósforo, cálcio e magnésio;
  • maçã – com casca, uma maçã fornece até 20% das fibras diárias;
  • laranja – rica em fibras e vitamina C;
  • morango – fonte de vitamina C, fibras e antioxidantes.

Mesmo sendo permitidas em uma dieta para controle da glicemia, é importante que o consumo dessas e de outras frutas seja realizado com moderação. Nada de exagerar, certo?

Também é importante consultar um nutricionista ou nutrólogo para saber quais opções colocar no cardápio. Mesmo com vários benefícios, algumas pessoas precisam reduzir o consumo de frutas e montar pratos que supram suas necessidades nutricionais.

Quais frutas devem ser evitadas?

Apesar das recomendações que citei durante a coluna, não existe fruta proibida para o diabético. Contudo, algumas opções devem ter seu consumo controlado, pelo alto índice glicêmico.

O mais importante em uma dieta para diabéticos é evitar o consumo de frutas processadas, sucos concentrados, polpa de frutas com açúcar, frutas em calda, cristalizadas ou secas. Além disso, é importante consumir frutas em pequenas quantidades para que elas não se tornem vilãs no controle da glicemia.

Atenção às opções que possuem os maiores índices glicêmicos: caqui, abacaxi, goiaba, banana, mamão, manga, melão, melancia, uva, figo, jaca e ameixa-preta. Essas frutas podem elevar a glicemia, tornando mais difícil a metabolização do açúcar no paciente com diabetes.

Pitaco: Vale lembrar que a quantidade, forma de consumo e o acompanhamento também podem representar perigo. Consulte um profissional para montar um cardápio ideal para a sua realidade.

Anúncios
Publicado em Saúde | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 19 Comentários

A primavera chegou! Confira 7 vinhos ideais para a estação

Refrescantes, os vinhos rosés combinam com o clima e as atividades típicas da primavera

O florescer das árvores e o aumento da temperatura estimulam saídas ao ar livre, comemorações com os amigos e momentos de relaxamento na areia da praia. Para acompanhar, uma boa taça de vinho cai bem.

Enquanto no inverno a preferência é pelos vinhos tintos, a primavera pede o frescor e alegria que só os vinhos rosés proporcionam, como ocorre em Provence, no Sul da França, a terra do vinho rosé. 

Por lá, durante a estação das flores, a bebida é consumida de maneira descontraída junto a um prato típico da culinária regional, o ratatouille, uma espécie de assado de legumes. 

O início da estação é o momento ideal para atualizar a adega e garantir as bebidas que serão apreciadas nos próximos dias, e não faltam ótimas opções de rosés para o consumidor. 

Como escolher um bom vinho rosé?

Com produção em ascensão, os vinhos rosés são leves e frescos, apresentando tons delicados e aromas intensos, misturando o toque frutado característico dos brancos com a adstringência dos tintos. 

A maioria dos rótulos é produzida para consumo rápido, ou seja, são vinhos jovens, para apreciação em até três anos, embora seja possível encontrar exemplares que contam com um maior potencial de guarda.

As uvas tintas são comumente utilizadas na fabricação do rosé, como as castas Pinot Noir, Merlot, Malbec, Syrah, Sangiovese e Tempranillo. Alguns métodos de fabricação misturam o vinho tinto com o branco, mas o mais comum é deixar o vinho em contato com a casca da uva tinta por um certo período de tempo, o que proporciona coloração típica da bebida. 

O vinho rosé deve ser consumido gelado, entre 8°C. e 12°C. Além de aliviar o calor da estação, dessa forma será possível desfrutar de todo o frescor e leveza da bebida. Na hora de servir, taças com bojo mais largo conservam melhor os sabores e os aromas

A bebida é um curinga quando se trata de harmonização. Ela combina com uma grande variedade de pratos, como: saladas, peixes,frutos do mar e sobremesas à base de frutas. 

Saiba quais vinhos escolher para aproveitar a estação:

  • Vinho Morandé Terrarum Reserva Rosé 2020

É assinado pela Viña Morandé, uma das vinícolas mais inovadoras do Chile! Produzido com a uva Pinot Noir, oriunda de vinhedos localizados na região vitivinícola do Vale de Casablanca. 

De uma belíssima coloração rosada, revela, no nariz, aromas de frutas vermelhas, como framboesa, notas florais, além de toques de especiarias. Em boca, é fresco, com acidez delicada.

  • Vinho La Piu Belle Rosé 2020

É produzido em edição limitada pela Viña Vik, que encanta pela sua belíssima garrafa! Elaborado com um corte das uvas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Syrah, oriundas de vinhedos em Millahue, dentro da região vitivinícola do Vale do Cachapoal, no Chile. 

De coloração rosada pálida, revela, no nariz, aromas de frutas vermelhas maduras, frutas amarelas, como damasco, frutas cítricas, como maracujá, notas florais, como de lavanda e violeta, além de toques de grafite. Em boca, é fresco e elegante.

  •  Vinho Orgânico Chakana Nuna Vineyard Rosé 2019

É assinado pela Chakana Wines, uma vinícola que vem despontando na elaboração de Vinhos Orgânicos e Biodinâmicos. Produzido com um corte das uvas Syrah, Malbec e Tannat, cultivadas a 960 metros de altitude na Finca Nuna, dentro da região vitivinícola de Mendoza, na Argentina. 

De uma belíssima coloração rosada, revela, no nariz, aromas de frutas vermelhas, como morango e framboesa, além de notas florais. Em boca, é fresco, equilibrado e muito gastronômico.

  • Vinho Rosé Piscine

Foi o primeiro vinho rosé criado para ser servido com gelo, em um copo baixo, como o de uísque. O responsável por essa novidade é Jacques Tranier, diretor da Vinovalie Les Vignerons, uma cooperativa de produtores do Sudoeste da França. 

Elaborado com a uva autóctone Négrette, apresenta uma belíssima coloração rosada clara com reflexos salmão. Revela, no nariz, aromas de frutas brancas, como pêssego e lichia, além de notas florais, como de rosas. 

Em boca, é muito refrescante, com um final exótico e cativante. Além disso, destaca-se pela sua característica garrafa listrada em azul e branco.

  • Vinho Domaines Ott Clos Mireille Côtes de Provence 2019

Leva a assinatura dos Domaines Ott, um dos mais tradicionais produtores da região vitivinícola de Provence, na França. Elaborado com um corte das uvas Grenache, Cinsault e Syrah, oriundas de vinhedos localizados na A.O.C. (Apelação de Origem Controlada) de Côtes de Provence. 

De uma belíssima coloração rosada, revela, no nariz, aromas frutados, como de manga e melão, notas cítricas, como de limão, além de nuances minerais. Em boca, é fresco, com ótima acidez e um final persistente. 

  • Vinho Catena Malbec Rosé 2020

Leva a assinatura da Catena Zapata, a melhor e mais reverenciada vinícola da Argentina. Elaborado majoritariamente com a uva Malbec, com toques de Syrah e Grenache, cultivadas entre 920 e 1.095 metros de altitude, em Lunlunta, Agrelo e Altamira, dentro da região vitivinícola de Mendoza. 

De uma belíssima coloração rosada, revela, no nariz, aromas de frutas vermelhas maduras, como morango e framboesa, além de toques de alcaçuz. Em boca, é elegante, contando com ótimo frescor.

  • Vinho Berne Esprit Méditerranée 2018

É um rótulo da Indicação Geográfica Protegida (I.G.P.) de Méditerranée, na França. De belíssima coloração rosada, revela, no nariz, aromas de frutas vermelhas frescas, como morango e framboesa, notas de pêssego e damasco. 

Um vinho rosé redondo e equilibrado. Em boca, apresenta ótimo frescor e um final leve. 

Pitaco: Agora que você já conhece os vinhos cujas características combinam perfeitamente com as da primavera, é hora de escolher o seu e aproveitar para refrescar os dias mais quentes sem abrir mão da sua bebida preferida.

Anúncios
Publicado em Dicas | Marcado com , , , , , , , , , , , , | 22 Comentários

Primavera: é preciso ficar atento à saúde

Pitacos e Achados

woman-spring-flowers

Começou a primavera!! Nessa estação o clima fica bastante agradável, propício para passeios ao ar livre e, como é a estação das flores, os parques e as ruas arborizadas ficam bem interessantes para quem gosta de paisagens bonitas, mas é preciso ficar atento à saúde, principalmente pessoas que já apresentam problemas respiratórios.

Na primavera acontece o reflorestamento, por isso a polinização é intensa e esse pólen que fica solto no ar acaba desencadeando ou piorando o quadro de vários tipos de alergia, que apresentam sinais como:

  • Coriza;
  • Rinite alérgica;
  • Coceira no nariz;
  • Sintomas de resfriado que, em muitos casos, são sinais de algum tipo de alergia.

Nessa época do ano é preciso ficar alerta também à conjuntivite, que é muito comum ocorrer vários casos.

Outros fatores, como a poluição, podem piorar a qualidade do ar, aumentando as chances de desenvolver quadros de alergias, além disso, o clima…

Ver o post original 405 mais palavras

Publicado em Sem categoria | 19 Comentários

9 sinais de que você está perdendo algumas vitaminas essenciais

O nosso organismo tem a sua forma de avisar sobre a falta dos nutrientes necessários para a saúde

Por diversas vezes, pequenos incômodos que sentimos são sinais que o nosso corpo nos envia para dizer que não está tudo bem. Aftas, cãimbras e descamações podem parecer comuns, mas a aparição destes sintomas são, na verdade, o seu corpo pedindo por nutrientes. Não deixe a sua saúde para depois e conserte o que a falta de vitaminas e minerais causa, antes que o problema se agrave. Abaixo, há uma lista de alertas do organismo. Caso você se identifique com alguns, é melhor dar um boost na ingestão de alimentos nutritivos e procurar um médico.

1. Braços, coxas e bochechas com bolinhas brancas e vermelhas

Se os seus braços, bochechas e coxas estão com bolinhas brancas e vermelhas, como se fossem acnes, o seu corpo está emitindo sinais de que faltam as vitaminas A e D. Aumente a ingestão de gorduras boas e elimine as gorduras saturadas e trans do seu cardápio. Você pode incluir na sua dieta, chia, salmão, oleaginosas, sementes de linhaças, cenoura, pimentão vermelho e batata.

2. Erupções cutâneas no rosto e queda capilar

O seu rosto está com erupções cutâneas avermelhada? Você está perdendo, em grande quantidade, o cabelo? O seu corpo está mostrando que está faltando zinco! O déficit desse nutriente também deixa a pele ressecada, hematomas e manchas vermelhas na pele. Consuma couve-flor, frutas secas, bananas, salmão, cereais integrais, abacate e outros. Além do zinco, esses sintomas também podem surgir na falta de vitamina B7, A, D, E e K.

3. Pele pálida em excesso

Se em relação a sua aparência, a sua pele está muito pálida, é sinal de que o seu corpo precisa de vitamina B12. Não adianta você correr para o sol, o que o seu corpo precisa é do consumo de carnes e frutos do mar.

4. Rachaduras no canto da boca

Isso não significa que você envelheceu de um dia para o outro, mas sim que o seu corpo precisa de vitaminas do complexo B. Invista, especialmente, nas vitaminas B2, B3 e B12. Outra causa para o problema é a falta de zinco e ferro. Para combater esse problema, consuma tomate seco, salmão, atum, couve-flor, brócolis e lentilha.

5. Pés e mãos dormentes, com cócegas e formigamento

Quando o seu corpo não possui nutrientes suficientes, os nervos periféricos e que terminam na pele são os mais afetados, causando cócegas, dormência e formigamento. Essa condição mostra que falta, principalmente, as vitaminas B6 e B12 no seu corpo. Além disso, é provável que você também sinta ansiedade, depressão, desequilíbrios hormonais, fadiga e anemia. Considere incluir feijão, ovos, espinafre, aspargos, ervilha e frutos do mar em sua dieta.

6. Lábios pálidos

Ter lábios pálidos mostra que o seu corpo precisa de ferro. Para obter a quantidade saudável desse nutriente é bem fácil, basta consumir carne vermelha, brócolis, cereais, espinafre, castanha de caju, leguminosas, alga e outros.

7. Desnível nas unhas

Nosso ácido estomacal é responsável por quebrar moléculas grandes vindas da alimentação e absorver vitaminas e minerais. Problemas na quantidade ou na produção desse ácido podem ser provenientes do uso excessivo de remédios para azia, dificultando a sintetização das vitaminas necessárias para o crescimento saudável das unhas. Para resolver esse problema, é recomendado visitar um médico, antes que a situação piore.

8. Fadiga

Todos nós estamos sempre cansados da rotina agitada. Mas quando o sono chega a perturbar o seu dia a dia – mesmo que você durma pelo período adequado de horas –, é melhor prestar atenção. Para melhorar essa situação, você pode ingerir vitamina D, encontrada em derivados do leite, bebidas de amêndoa ou soja, sardinhas e cogumelos.

9. Machucados nas pernas

Tem hematomas roxos nas pernas e não sabe de onde vieram? Eles podem ser originários da falta de vitamina C, que ajuda na produção e do colágeno no nosso corpo. Essa substância envolve nossas vasos sanguíneos e, por isso, a falta dela pode resultar em vasos capilares fracos. Para suprir a necessidade é recomendado a ingestão de morangos, limão, brócolis e manga.

Como manter uma boa nutrição?

Uma nutrição saudável consiste em alimentos também saudáveis, como frutas, legumes, leguminosas, carnes e frutos do mar. Porém, a necessidade do seu organismo é diferente de outras pessoas. Para saber do que o seu corpo mais precisa e a quantidade ideal, é importante que você consulte um médico especialista. Ele irá solicitar exames para identificar quais as vitaminas que o corpo precisa para montar um cardápio adequado.

Pitaco: Atente-se aos fatos de que elas são substâncias muito importantes para o metabolismo e que a falta acarreta em vários problemas de saúde.

Anúncios
Publicado em Saúde | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | 18 Comentários