Conheça as estratégias para lidar com a dor física

Existem muitas condições de saúde que incluem a dor entre os seus principais sintomas. A dor física causa sofrimento e pode ser tornar um fardo muito pesado. É importante saber que, além dos analgésicos, existem outras estratégias que ajudam a lidar com a dor física e que, eventualmente, podem substituir os medicamentos até certo ponto.

A Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard demonstrou que a dor física está intimamente relacionada ao plano mental. Estudos indicam que a maneira como se experimenta a dor depende muito da personalidade, do estilo de vida, das emoções e experiências passadas de cada pessoa.

Cientistas já viram casos em que uma pessoa experimentou uma dor física por um tempo e depois melhorou. No entanto, ela continuou sentindo a dor apesar de estar “curada”. Isso ocorre porque o cérebro se acostuma a certas sensações e as reproduz automaticamente. 

Portanto, para lidar com a dor física, é essencial trabalhar também o plano mental ou psicológico.

Ninguém pode livrar os homens da dor, mas será bendito aquele que fizer renascer neles a coragem para a suportar”.
-Selma Lagerlöf-

A percepção mental da dor física

Não é incomum cometer o erro de tratar o corpo como se ele estivesse separado da mente. Os seres humanos não são apenas um substrato biológico. Nós temos um cérebro que interpreta e dá sentido a tudo o que ele experimenta. Como resultado, toda dor física envolve também a mente.

Cada um de nós tem um esquema mental em relação à dor. Quando ela surge, damos sentido a ela e formamos expectativas sobre o que ela representa. Também respondemos de uma maneira específica a ela. Isso determina a intensidade da dor e o limiar de tolerância.

O limiar da dor é um conceito que se refere à capacidade do ser humano de tolerar a dor física. Isso varia de uma pessoa para outra. Para algumas, a sensação de dor é muito intensa mesmo quando confrontada com estímulos mínimos. Outras pessoas podem tolerar estímulos de dor muito intensos. As diferenças individuais nessa variável dependem, em grande parte, do estado psicológico de cada pessoa.

Estratégias para lidar com a dor

Existem várias estratégias que se mostraram eficazes quando se trata de lidar com a dor física. Em um primeiro momento, trata-se de realizar práticas de relaxamento. Isso ajuda o corpo e a mente a alcançar um estado mais calmo, tornando a dor física mais tolerável.

As principais estratégias são:

  • Prática de respiração profunda. É a estratégia mais fundamental e também a mais simples; basta inspirar e expirar profundamente. É aconselhável acompanhar a inspiração com uma mensagem positiva e a expiração com uma frase para ajudar a expulsar a dor física.
  • Prática da atenção plena. Consiste em focar na dor e prestar muita atenção à maneira como ela se manifesta. Tente não interpretá-la ou rejeitá-la, mas simplesmente observá-la.
  • Meditação básica. Você deve focar a atenção no ritmo da sua respiração e segui-lo com a mente. Pense em um local tranquilo e fixe a imagem na mente. Se alguma distração aparecer, retorne a essa imagem.
  • Resposta de relaxamento. Você deve executar essa resposta nos momentos em que há dor que gera estresse. Consiste em fazer uma meditação básica, com o objetivo de desacelerar o coração e relaxar os músculos.

Outras práticas importantes

Para aumentar o grau de controle sobre a sensação de dor física, também é importante realizar outras ações, desta vez mais direcionadas para o externo do que para o interno. É sempre uma boa ideia desenvolver algum tipo de hobby relaxante. Caminhar, cuidar de plantas e pintar, entre outras atividades semelhantes, podem ser muito adequadas.

Ler também é uma atividade altamente recomendada, pois ajuda a aumentar a capacidade de concentração, o que é bastante útil para tolerar a dor. Da mesma forma, ajuda a controlar o estresse. A poesia também pode ser uma excelente companhia nesses casos.

Não é bom ficar sozinho por muito tempo. O contato com outras pessoas é um estímulo muito positivo. No entanto, você não deve usar essas relações para falar apenas sobre os seus problemas físicos.

Pitaco: Se você acha que este é um assunto sobre o qual precisa conversar constantemente, a melhor alternativa é a psicoterapia. Dessa forma, você não vai saturar suas relações com outras pessoas e também vai obter a ajuda profissional de que precisa.

Anúncios

Sobre Pitacos e Achados

Olá! Aqui você encontra dicas e pitacos para o seu dia a dia. Muitas novidades sobre moda, beleza, atualidades, comportamento, utilidades, entre outras. Aproveite!
Esse post foi publicado em Comportamento, Saúde e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

22 respostas para Conheça as estratégias para lidar com a dor física

  1. Gostei do artigo.

    Curtir

  2. Zem disse:

    Gostei!

    Curtir

  3. zezaros disse:

    Preciso começar já.

    Curtir

  4. Fadabela disse:

    Gostei muito!

    Curtir

  5. amigablogsite disse:

    Praticando também.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Saltibum disse:

    Relaxamento é tudo de bom.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Sempre Alerta disse:

    Obrigada pelas dicas das estratégias.

    Curtido por 1 pessoa

  8. revistasmais disse:

    Sei muito bem o que é isso. É difícil lidar.

    Curtido por 1 pessoa

  9. VRblog disse:

    Interessante!

    Curtido por 1 pessoa

  10. mariel disse:

    praticando

    Curtido por 2 pessoas

  11. Pingback: Conheça as estratégias para lidar com a dor física — Pitacos e Achados – Jrmessi's Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.